Porque me tornei fotógrafo de casamento e família

Vou contar a história de como me tornei fotógrafo de casamento e família.

Conheça um pouco da minha história até eu me tornar um fotógrafo de casamentos. Entenda um pouco do porque escolhi esta profissão e a influência que o núcleo familiar traz para a minha fotografia.

É sempre muito difícil falar de nós mesmos, mas para poder dizer de forma clara quem é o homem por trás das lentes preciso contar um pouco da minha história.

Foi a partir da minha adolescência que eu lembro ter começado a me interessar por arte. O meu interesse se deu inicialmente para a música, pois desde muito cedo gostava de colecionar discos e logo em seguida veio uma vontade de aprender a tocar um instrumento.

Comecei então a ter aulas particulares de violão em casa e depois ingressei na Escola de Música de Villa-Lobos no Rio de Janeiro mas não fiquei muito tempo.

Apesar de gostar do instrumento e da música, fui apresentado a uma teoria musical muito complexa que eu não tinha noção que existisse e isso acabou por me desestimular a prosseguir.

Outro tipo de arte que logo ganhou meu coração, dessa vez por mais tempo, foi as artes cênicas.

Dei meus primeiros passos no teatro através de grupos na escola e na Instituição religiosa que frequentava. Mas o teatro ganhou força na minha vida quando eu saí do Rio de Janeiro (capital) e vim para a região dos lagos e aqui comecei aquele que seria o meu primeiro grupo de teatro.

Foram 12 anos como ator,  diretor e professor de teatro pela Fundação Rio das Ostras de Cultura e apesar de terem sido anos incríveis, o tempo foi me mostrando que seria muito difícil conseguir viver de teatro. No entanto largar aquela atividade que eu tanto amava aquele momento não era uma opção.

Resolvi então ingressar na faculdade de arte e me formar como professor de educação artística.

Minha ideia era depois de formado poder lecionar no ensino fundamental e ensino médio, e assim com uma atividade rentável, com a qual poderia me sustentar, continuaria também as minhas atividades no teatro.

No entanto eu não sabia que ali na faculdade eu conheceria minha verdadeira paixão e vocação para as artes. 

 Uma das disciplinas o que eu tive ao longo de 4 anos e meio foi fotografia e cinema. Eu simplesmente me apaixonei pelo tema.

De início o cinema falou muito mais forte é verdade. Havia sido convidado na época a participar de um projeto ambiental cuja a proposta era desenvolver filmes falando dos problemas ambientais da região em que vivia e isso aguçou ainda mais o meu interesse pelo tema.

Foi assim que logo após ter tido contato com essas disciplinas comecei a entregar todo tipo de trabalho proposto na faculdade usando foto e vídeo como recurso. Antes de completar a faculdade tinha certeza de uma coisa: eu queria trabalhar com vídeo.
Sim fotografia naquele momento não era a minha primeira opção.

Ao deixar a faculdade eu já estava trabalhando como professor de arte em uma escola particular e mantinha minhas atividades no teatro em Rio das Ostras e também em um espaço cultural perto de minha casa.

E foi nesse espaço cultural que tive a minha primeira porta aberta para poder finalmente abrir o meu estúdio de fotografia e filmagem.

Em uma das salas que me foi cedida dentro do espaço abriria então o meu estúdio de foto e filmagem. Fiz um acordo no qual eu, tomava conta do espaço no horário comercial e em troca, podia praticar a minha atividade.

Assim surgia a Master Photostudio.

No início a proposta ela trabalhar apenas com a filmagem nos eventos e com a fotografia no pequeno estúdio que montei, realizando fotos 3×4, retratos de crianças e outras coisas.

Mas já nos primeiros meses a procura pela fotografia de eventos foi muito mais forte do que a de filmagem.

Foi então que resolvi oferecer também a fotografia, já que o equipamento que utilizava era próprio tanto para foto como para vídeo.

E ali iniciava-se então a minha carreira como fotógrafo.

No início eu fazia de tudo. Qualquer tipo de foto. Infantil, retratos, 15 anos, casamentos…

O estúdio cresceu eu passei a ter funcionários e seguia com relativo sucesso a minha atividade, até que um dia aconteceu um fato novo…

Porque me tornei fotógrafo de Casamento e família
O homem por tras da lente

Agora começo a contar para vocês quem é o homem por trás da lente…

Minha mãe praticamente me criou sozinha. Desde os meus dois anos de idade, quando se separou do meu pai, ela se viu tendo que assumir toda a responsabilidade de manter uma casa e uma criança sem se quer ter um emprego fixo.

Lembro de eu ainda muito novo indo com minha mãe na famosa Rua Teresa em Petrópolis comprar roupas para revender. Foi assim como sacoleira e com muita luta que minha mãe me criou.

Me lembro com saudosismo de uma época que eu ainda pequeno sentava no colo da minha mãe para ver as fotografias antigas da família.

Foi através dessas imagens que eu vi como era a rua que eu morei depois que nasci.

Vi como era linda minha mãe ainda na sua adolescência e meu pai ainda muito jovem cheio de vida.

foi através dessas mesmas fotos que eu pude trazer a mente tantas coisas que eu nem lembrava de ter vivido.

E foi com esse sentimento todo que, mesmo sem eu me dar conta estavam presente em meu coração, que naquele dia especial quando em meu estúdio entrou um homem solicitando fazer uma fotografia para que ele pudesse enviar para sua mãe que não via há alguns anos, tudo para mim mudou e passou a fazer sentido.
 

Quem atendeu primeiramente a esse senhor foi uma de minhas funcionárias, pois eu havia saído naquele dia. Ela então realizou a fotografia em um fundo branco do estúdio como era de costume e ele ficou de vir buscar no dia seguinte.

No dia seguinte eu estava lá para recebê-lo e entregar a fotografia.  Foi então que ele me contou um pouco da sua história e me disse que ele queria mandar aquela fotografia para sua mãe pois havia tempo que eles não se viam.

Ele me contou também que ao longo de quase 10 anos que vivia por aqui já tinha conseguido comprar um terreno e estava ele mesmo construído sua casa e conheceu uma mulher com a qual teve uma filha que estava com quase 02 anos.

Foi então que eu lembrei de todas as fotografias que minha mãe me mostrava na infância e que até hoje estão guardadas e que de vez em quando nos reunimos para ver.

Propus a este homem que não enviasse apenas uma fotografia feita no fundo branco mas que reunisse outras fotos mais antigas, me propus a escaneadas e fazer novas cópias, e anexar junto para enviar para sua mãe.

Propus também que fossemos até a casa dele e fizéssemos uma foto junto à entrada, na porta com sua mulher e filha.

E assim foi feito. Ao invés de uma foto no fundo branco, aquele homem enviou a sua mãe um pequeno pacote de fotos que contavam resumidamente a história de quase 10 anos de sua vida.

Através das fotografias antigas e das fotos com a sua família, agora aquela mãe poderia ter junto dela todo sentimento e a emoção do filho tão querido que a tempo ela não via.

Foi naquele momento que eu entendi o poder de uma fotografia e a minha missão como fotógrafo.

Vivíamos em um local pequeno e era comum estar sempre se esbarrando com as pessoas e foi assim que passado cerca de 4 ou 5 meses, encontro novamente na rua com este homem e ele veio me apresentar uma senhora que estava com ele…

Adivinhem… Era a sua mãe.

A emoção de receber aquelas fotos havia sido tão grande e tão impactante que ela resolveu deixar a terra dela e ir viver juntamente com o segundo marido e mais dois filhos ali ao lado do seu filho mais velho.

Me tornei fotógrafo porque que acredito que um dos sentimentos mais lindos que existe é a saudade.

Ela tem um poder incrível de encher um coração de alegria.

Escolhi a fotografia porque vejo o quanto é importante deixar um registro afetivo da própria história, da família e dos antepassados.

Essa é uma das maiores heranças que alguém pode deixar às gerações futuras.

Por perceber isso que eu passei a buscar registrar as pessoas com verdade, beleza e desprendimento. Procuro captar os valores pessoais de cada pessoa, esteja ela sozinha, acompanhada de seu par ou com a família completa.

O objetivo é sempre obter um registro onde a emoção e a verdade estejam presentes.

Essa é a essência que inspira as fotos que faço.

Deixa eu então lhe apresentar o homem por trás da lente.

Eu me chamo Paulo Ellias, sou esposo da Adriana e pai do Lorenzo.

Depois que casei e que meu filho nasceu, o sentimento que eu tinha pela família se intensificou, e com isso, a paixão pela fotografia ficou ainda mais forte.


Fotografar uma família é uma grande honra.

Ao profissional de fotografia é dado a confiança de compartilhar, registrar e contar a história dos momentos mais importantes daquelas pessoas.

Como fotógrafo de família e de casamento, meu objetivo é sempre criar imagens que façam as pessoas sentirem novamente a emoção vivida naquele momento especial.

Mais do que uma lembrança, a fotografia lhe permite reviver…

É assim que eu vejo o mundo por trás das lentes.

Paulo Ellias

Paulo Ellias

Sou especialista em fotografia de casamento e ensaios fotográficos de casais e famílias. Acompanhe meus canais para saber mais sobre mim.

Porque me tornei fotógrafo de Casamento e família

Porque me tornei fotógrafo de casamento e família

Vou contar a história de como me tornei fotógrafo de casamento e família. Conheça um pouco da minha história até eu me tornar um fotógrafo …

Continue →

Gostou do conteúdo? Compartilhe para ajudar a divulgar!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

VEJA MAIS CASAMENTOS, ENSAIOS E DICAS